sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

É carnaval...dicas para mulherada curtir sem ficar doente!

 Olá Pessoal, 


O carnaval chegou!!

Acho que nunca contei aqui, mas foi em um carnaval, neste da foto, que decidimos que queríamos engravidar! Então, tenho um carinho especial pelo Carnaval de 2010! Depois da folia em Salvador, voltamos e dois meses depois eu estava grávida, esperando o Pedro! Na foto uma das minhas melhores amigas e os nossos maridos. Ela é uma das madrinhas do Pedro, mas mora em NY, nos vemos menos do que gostaríamos...ai que saudades!

  E esta semana já atendi muitas mulheres com problemas relacionados a folia pré-carnaval dos "Bloquinhos" que aconteceram todo o final de semana passado por aqui, então resolvi escrever algumas sugestões para curtir o carnaval sem trazer de lembrança algum problema de saúde. Adoro carnaval desde criança... herdei essa paixão da minha mãe, carnaval não tem idade! Quem gosta, gosta e pronto! Com filho pequeno, aproveitamos bloquinhos, clube ou apenas para curtir ao máximo os dias de folga com ele na praia ou piscina, afinal, quem tem filho pequeno sabe que é sempre uma folia!

E até por gostar tanto dessa época, gosto de orientar minhas pacientes para que possam curtir a folia sem ficarem doentes!! 
Infecção de urina, corrimentos variados e algumas doenças sexualmente transmissíveis são os problemas mais comuns de quem abusa, além de gente querendo dar um jeito para a menstruação não descer no meio da bagunça o que pode se transformar em irregularidade menstrual e até gestação indesejada. Entre outros...
Tem também as grávidas que estão querendo mostrar a barriga na avenida! Mas precisam tomar alguns cuidados especiais!

Roupas frescas, bem arejadas para todo mundo! Evitar tecidos sintéticos! A grávida costuma sentir mais calor por efeitos hormonais, então não esquecer prendedores de cabelo, aproveite para enfeitar muito!! Sapatos devem ser sem saltos fino e firmes ao pé, já que a gestante tem mais risco de cair, porque há mudança do eixo de equilíbrio durante a gravidez. 
Se a folia for ao ar livre, todas devem se proteger do sol: protetor solar, chapéus, bonés, óculos de sol e até sombrinhas de frevo estão valendo! As grávidas podem ter algum mal estar por conta do calor, então é bom evitar aglomerações e ter sempre um plano para uma saída emergencial. 



A gestante precisa descansar sempre que sentir vontade, na medida do possível. E descansar com as pernas elevadas. Evitar ficar muito tempo em pé. Usar calcinhas apropriadas que ajudam na sustentação, pode ser bacana. 
O descanso  é essencial para as grávidas, mas todas as mulheres devem descansar para repor as energias e manter a resistência do organismo. Quando não dormimos uma boa noite de sono e não nos alimentamos bem, nossa imunidade cai e viramos alvo fácil para doenças! Então se a farra for noturna descanse um pouco mais de dia. 
Alimentação ideal: Essa dica também vale para todas, mas as gestantes precisam ficar ainda mais atentas!
 Comer a cada 3 horas com alimentos variados e frescos. Ingerir muitas frutas, saladas, mas sem deixar de ingerir carboidratos - preferindo alimentos de farinhas integrais e também proteínas, preferindo as carnes magras. Deve-se evitar frituras e alimentos crus fora de casa. Vale coisas fáceis de carregar como frutas secas, barrinhas de cereal e/ou de proteínas, frutas como maças por exemplo.

Além de muita água, água de coco, sucos naturais e picolés. Limonadas, e outros sucos de frutas ácidas, são ideais para grávidas que estejam sofrendo com os enjoos. E claro, para as futuras mamães, não consumir bebidas alcoólicas. Nem uma cervejinha! Não há dose segura para o bebê!
Para as grávidas, o ideal é curtir a folia em locais que tenham uma estrutura boa. Mulher grávida precisa sentar de vez em quando, precisa ir ao banheiro muitas vezes e pode se sentir mal com muito calor e aglomeração.
Então, pular Carnaval em clubes parece uma boa opção. Caso opte por Carnaval de rua, a gestante deve se certificar que haverá locais como restaurantes e bares para usar de base para ficar à vontade. Camarotes também podem ser uma boa pedida.
É importante levar a carteirinha de pré-natal, verificar com seu obstetra se tudo bem cair na folia, cartão do plano de saúde (se tiver), usar meias elásticas, de acordo com a orientação médica. E verificar onde fica o posto médico mais próximo em caso de necessidade. Se estiver em outra cidade é importante também saber onde fica o hospital mais próximo.

Para a mulherada que não está grávida, tentar seguir esses cuidados básicos de descanso e alimentação é sempre bom! Para o carnaval de rua, se possível andar com um pacote de lencinho de papel descartável( não é lencinho umidecido, ok?) para usar nos banheiros públicos que frequentemente não tem papel. Não segurar o xixi muito tempo e beber muita água, ainda mais se estiver ingerindo bebidas alcoólicas. Mas sem excessos, ok?
Se for ter relações sexuais, usar camisinha!! Ande com a sua na bolsa, use! não é vergonha usar camisinha! DST não tem cara, qualquer um pode ter!!! Lembrem-se também que sexo oral e sexo anal transmitem doenças igualmente!!!E precisam de preservativo! 

Evitem ficar com roupa molhada muito tempo, isso aumenta a chance de corrimentos por fungos! 

E quem está para menstruar e quer evitar, tente conversar com sua ginecologista para ver se é possível fazer algo assim em cima da hora e se não há contraindicação! Não tome medicação, nem imende cartelas de pílula sem orientação médica, isso pode gerar problemas. 

Desejo a todos um lindo carnaval de folia ou de descanso!!! Aproveitem muito, mas com responsabilidade!







segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Estenose do canal do colo do útero

Pessoal,

Dizem que o ano só começa mesmo depois do carnaval, mas para mim esse marco mudou desde que o Pedro entrou para escola. Desde então, o ano começa com o Primeiro Dia de Aula dele. Fico ansiosa, na noite anterior é hora de arrumar a mochilinha nova ( este ano do robô Star Wars), pensar no conteúdo da lancheira, conversar sobre quem será a professora nova, amigos novos, amigos "velhos".

Ele vai para o último ano da educação infantil...como passou rápido!! Achei que teria menos preocupações, que nada, só mudaram...se querem saber, acho que tenho até mais agora que ele está cada dia mais independente! Enfim, ele ficou super bem e o primeiro dia foi um sucesso!!!
Devagar ele vai abrindo os caminhos dele, às vezes recua um pouco, desvia e segue a diante, nem sempre é o caminho mais curto ou o que imaginamos, mas é o dele e o importante é que esteja seguindo feliz! Nossa...essa frase poderia ser sobre a histeroscopia do canal cervical....

Falando em caminhos tortuosos, uma leitora do blog pediu para que eu falasse sobre Estenose do colo do útero. Para quem não sabe, estenose é quando uma parte ou todo o canal cervical está fechado e isso pode impedir ou dificultar o exame de histeroscopia e também pode ser causa de dificuldade para engravidar.

A canal cervical é tipo um túnel que comunica a vagina com a cavidade endometrial (área interna do útero). É através dele que os espermatozóides entram, a menstruação sai.

A estenose ou obstrução pode ser do orifício externo que é o orifício que nós ginecos vemos quando colocamos o espéculo. Já o orifício interno, só vemos durante o exame de histeroscopia. Um dos dois ou ambos podem estar fechados. O canal não é reto, geralmente é torutuoso e pode variar muito o seu trajeto.

A história natural é que esse canal e esses orifícios fiquem cada vez mais fechados com o avanço da idade e a diminuição das taxas hormonais. Isso é pior, geralmente, para mulheres que nunca tiveram partos vaginais. E também para quem precisou realizar curetagens.

Quando essas estenoses acontecem durante a idade reprodutiva, podem atrapalhar as tentantes.
Pode haver estenose mesmo com um fluxo menstrual normal. Pois, por vezes, a estenose é parcial, ou seja, o histeroscópio não passa, mas há algum caminho que o fluxo menstrual encontra para passar.

A estenose se torna um problema quando impede o fluxo menstrual de sair e a menstruação se acumula dentro do útero causando dor. Também quando o canal é tão tortuoso que pode dificultar a subida dos espermatozóides.

Após a menopausa, pode ser um problema caso haja suspeita de doenças na cavidade uterina e o acesso por histeroscopia não seja possível.

A histeroscopia realizada por especialistas bem capacitados resolve a maioria dos casos, apenas alguns precisarão de outras abordagens que deverão ser individualizadas.

Espero ter ajudado!!
Ótima semana a todos!!
Bárbara Murayama

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Desabafo de uma ginecologista

Pessoal, 

Amo minha profissão. Mas sempre tive dificuldade em lidar com a morte ou casos de câncer sem me envolver pessoalmente, talvez por isso eu tenha escolhido uma especialidade que envolve o início da vida e mesmo dentro da minha subespecialidade em ginecologia, meu grande foco está em doenças benignas como pólipos e a endometriose. 

Mas quando  se faz consultório e se lidera uma equipe de Ginecologia de um grande hospital é preciso lidar com essas situações frequentemente. Faço isso com todo amor que tenho no coração,  porque se eu me descobrisse com câncer hoje, acho que mais do que um médico extremamente técnico ( isso seria o básico! É nossa obrigação como médicos oferecer as melhores práticas!), eu gostaria que a equipe médica me tratasse como gente, gente digna, sabe? Que me acolhessem, me olhassem no olho, talvez me abraçassem se eu estivesse sozinha...porque eu estaria com medo, porque sou mãe e meu filho ainda precisa muito de mim, porque sou esposa, porque sou filha e não é justo filhos irem antes dos pais, porque tenho ainda muitos sonhos, porque estou ainda na casa dos 30 e tantos e essa idade não é idade de se ter câncer, aliás nunca deveria ser hora de ter câncer.  

Então, hoje estou aqui só para desabafar... para confessar que mesmo sendo médica, entendendo um monte sobre doenças e tal, sou igual a todo mundo e fico com raiva do Universo quando isso acontece e acontece muito mais do que gostaríamos. Hoje estou triste por conta de duas desses mulheres. Uma com câncer de mama e outra com  câncer de colo do útero, mulheres na casa dos 30, dessas como eu, filhas, talvez mães, com sonhos e uma vida inteira pela frente. 

De acordo com o site do Inca, as estimativas de novos casos em 2106 no Brasil para colo de útero são 16.340 e de mama 57.960. Muito triste, né? 

Muitos desses serão tratados e curados graças aos avanços da medicina e a tantos ótimos profissionais pelo Brasil!! Torço por cada uma, hoje especialmente por essas minhas duas queridas! 

Desculpem já começar o ano com assunto triste, mas início de ano é tempo de renovação, de colocar a casa em ordem. Por isso, só queria aproveitar para pedir que você faça seu preventivo, não deixe de colher seu exame de Papanicolau uma vez ao ano, ok?

E se já tiver 40 anos ou mais faça a mamografia. Casos de câncer de mama antes dessa idade são infrequentes. Se você for a consulta de rotina anualmente e fizer o auto-exame todo mês já estará fazendo sua parte!! 

Grande abraço!

Bárbara A. Murayama



segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Como passar pelo verão sem candidíase?



Pessoal, o ano novo chegou e para o primeiro post do ano....olha o Pedrinho aí todo protegido do Sol com camiseta e boné com fator de proteção!...

 um assunto que vem com o verão e muitas idas a praias, piscina e biquini molhado! Também mais namoro e mais sexo - com camisinha ok?! Mas sem querer ser estraga prazeres, para muitas mulheres essa combinação acaba em .... candidíase!! 

Os estudos tem dificuldade de contabilizar, mas alguns deles apontam que 5 em cada 10 mulheres terão pelo menos 1 episódio de candidíase durante a vida. 

A candidíase vaginal é um problema comum em mulheres, especialmente nesta época de verão, essa é uma das semanas do ano que eu provavelmente mais recebo pacientes com esse problema. Algumas mães inclusive trazem suas filhotas com coceira na "vava"como chama meu filho, ou na "periquita"apelido dado pela minha amiga Renata, mãe da Mari, com medo que possam estar com candidíase. 

Os sintomas mais comuns são:

 Coceira "infernal" - só quem já teve sabe, né?- ou irritação da vulva - que é a parte interna dos nossos órgãos genitias e em torno da abertura vaginal.
Dor ou ardor para urinar ( ah, infecção de urina também é comum nesta época!!!)
 Dor ou incômodo durante as relações sexuais
 Inchaço, vermelhidão e até rachaduras da mucosa da vulva podem acontecer
Algumas mulheres não têm corrimento vaginal anormal. Outros têm corrimento branco leitoso, com aspecto de coalhada, podendo ser amarelado ou esverdeado, geralmente sem odor fétido.

Geralmente ocorrem como episódios pouco frequentes, mas podem reaparecer com frequência e pode causar sintomas persistentes  e se tornar até candidíase crônica, se não tratada adequadamente.

Essas infecções causadas por fungos ocorrem principalmente em mulheres que menstruam, isso porque a vagina se torna mais ácida próximo ao período menstrual e essa acidez facilita a proliferação dos fungos.
São menos comuns em mulheres pós menopausa que não usam a terapia hormonal contendo estrogênio e são raros em meninas que ainda não tenham começado a menstruar.  Para as mães  de menina o principal cuidado deve ser a higiene, sem excessos, com água e sabonete próprio para idade. Não deixar de biquininho molhado e com areia por muito tempo.   
-
O fungo que causa infecções fúngicas (Candida albicans é o principal tipo) normalmente vive no trato gastrointestinal e, por vezes, na vagina. Normalmente, Candida não causa sintomas. No entanto, quando há mudanças na flora normal podem se proliferam.

 Essas mudanças são causadas por medicamentos, lesões ou estresse para o sistema de defesa- que pode ser apenas uma mudança de ambiente, um pouco de álcool a mais, alimentação desregrada, noites mal dormidas, pouca ingestão de água - tudo aquilo que a gente costuma fazer nas festas de final de ano e no verão, né?

Na maioria das mulheres que chega ao consultório com candidíase, não há nenhum problema de saúde subjacente que leva a uma infecção por fungos. Mas existem vários fatores de risco que podem aumentar as chances de desenvolver uma infecção, incluindo:

Antibióticos - A maioria dos antibióticos matam uma grande variedade de bactérias, incluindo aquelas que vivem normalmente na vagina. Estas bactérias proteger a vagina do super crescimento de fungos. Algumas mulheres são propensas a infecções fúngicas enquanto tomam antibióticos.

Os contraceptivos hormonais também podem facilitar. 

dispositivos contraceptivos - dispositivos intra-uterinos (DIU) pode aumentar o risco de infecções fúngicas. Os espermicidas não costumam causar infecções fúngicas, embora possam causar  irritação vaginal ou vulvar.

Sistema imunológico enfraquecido - Infecções fúngicas são mais comuns em pessoas que têm um sistema imunológico enfraquecido devido ao HIV ou uso de certos medicamentos (esteróides, quimioterapia, medicamentos pós-transplante de órgãos).

Gravidez - Secreção vaginal se torna mais perceptível durante a gravidez, embora infecção por fungos nem sempre é a causa.

Diabetes - Mulheres com diabetes estão em maior risco para infecções fúngicas, especialmente se os níveis de açúcar no sangue são frequentemente mais elevados do que o normal.


A atividade sexual - infecções fúngicas vaginais não são uma infecção sexualmente transmissível. Eles podem ocorrer em mulheres que nunca foram sexualmente ativos, mas são mais comuns em mulheres que são sexualmente ativos.


O diagnóstico é basicamente clínico. Durante o exame físico a ginecologista consegue identificar o corrimento e outras alterações. E a partir daí propor o tratamento que pode variar entre comprimidos, cremes vaginais, óvulos vaginais, etc. 

Para se prevenir, manter a resistência do organismo boa é o melhor caminho! Se alimentando a cada 3 horas, com alimentos saudáveis e variados, evitando frituras, excesso de doces. Buscando boas noites de sono, atividade física regular - se não começou a se exercitar, ainda que tal aproveitar o Ano Novo?! Além de evitar beber em excesso. E usar preservativo!

Quanto ao biquini: evite ficar com a calcinha molhada, leve várias calcinhas de biquini e vá trocando ao longo do dia!
 E se qualquer sintoma aparecer, agende com sua ginecologista para uma avaliação!!

Desejo a todos um Ano Novo de Muita saúde e paz!!! 

Abraços!

Bárbara Murayama

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Feliz 2016!!!

Pessoal,


Falta apenas um dia para que termine 2015 e foi um ano de muita coisa boa!

Pedrinho ficou menos doente e isso, com certeza, foi minha maior alegria! Porque quando estamos com saúde o resto a gente corre atrás, né?

E pensando nisso minha sugestão de promessas para o Ano Novo para todos envolve qualidade de vida!!

Para quem fuma - tentar parar de fumar!! Lembrando que existem profissionais especializados, como pneumologistas, que podem ajudar. Meu compadre Dr. Gustavo Prado é um deles! Super recomendo!

Para quem está sedentário- começar a praticar atividade física regular! Sempre falo para minhas pacientes tentar escolher uma atividade que te dê prazer, vale pular corda em casa mesmo para economizar tempo, dançar, correr, pedalar....Mas antes procure uma avaliação médica para não ter problemas!

Se alimentar de forma mais saudável!! Essa vale para todo mundo, porque sempre podemos melhorar!! Evitar frituras, comer mais frutas e legumes, carboidratos integrais já é um bom começo.

Se relacionar mais com amigos, familiares...fazer novos amigos., rever antigos...uma vida social bacana pode ajudar a diminuir o estresse, melhorando a qualidade de vida como um todo!

E brincar muito com a criançada porque eles crescem muito rápido! E é uma delícia!



Desejo a todos uma lindo 2016!! Muita saúde, paz, tolerância, sucesso!!

Obrigada por tudo em 2015!!

Abraços!

Bárbara Murayama






segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Transplante de útero

Pessoal, bom dia!!!

Depois de tantas notícias tristes neste final de semana sobre catástrofes naturais, guerras e terrorismo. Vou animar a segunda com uma notícia de ESPERANÇA,  anunciada há dois dias atrás sobre os estudos a cerca de Transplante de útero da Cleveland Clinic, um dos hospitais mais importantes e tecnológicos do mundo.

A ideia é colocar um útero na pelve de uma mulher que tenha infertilidade por fator uterino, ou seja, uma mulher que não tenha útero ou por ter nascido sem ou por ter perdido por alguma doença.



Eles entendem que o transplante será temporário, ou seja, a mulher receberá o útero, engravidá através de fertilização in vitro após um ano e depois da gestação este útero será retirado novamente.
Isso porque, para manter o útero, como qualquer transplante, é necessária uma alta carga de medicações.

A quantidade de mulheres com infertilidade por causas uterinas é desconhecida, mas estima-se que acometa milhares de mulheres. A única opção hoje para estas mulheres terem um filho biológico é a barrriga de aluguel, mas é um processo com burocracia e até proibido em alguns países.

Em setembro de 2015, foram transplantados 9 úteros na Suécia e 5 gestações aconteceram e nasceram 4 bebês. Foi o primeiro estudo que teve algum sucesso no mundo.

Estou otimista que os estudiosos da área estão no caminho certo e esse novo tratamento trará alegria para muitas famílias!! Boa sorte aos pesquisadores e parabéns Cleveland Clinic!! Ainda está longe o dia desta tecnologia chegar ao Brasil, mas para qualquer sucesso, é preciso dar o primeiro passo!!!

Uma semana de muito sucesso e esperança a todos!!!

Segue o link com o artigo completo em inglês:

http://health.clevelandclinic.org/2015/11/uterus-transplant-know-facts-infographic/?utm_campaign=cc+posts&utm_medium=social&utm_source=linkedin&utm_content=151113+uterus+transplant+facts+infographic&dynid=linkedin-_-cc+posts-_-social-_-social-_-151113+uterus+transplant+facts+infographic

Abraços
Bárbara Murayama
Instagram: @barbara.murayama


 

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Histeroscopia, gravidez e irregularidade menstrual

Pessoal, bom dia!!!


Hoje vim cedo para o consultório e vim de bike!! Que delícia!!! Ainda não tenho coragem de andar entre os carros, então só peguei o trecho da ciclovia da Av. Paulista, mas amei e vou tentar repetir.

Coloquei uma fotinho no meu IG do instagram @barbara.murayama, passa lá para ver!



Mas vendo comentários que recebi aqui no blog, um dos mais acessados é este

http://barbaramurayama.blogspot.com.br/2011/07/histeroscopia-atraso-menstrual-e.html

E como tinham muitas dúvidas parecidas resolvi escrever outro post, já que deve ser dúvida de mais gente.

Quando a gente faz uma histeroscopia é normal a menstruação ficar bagunçada? 

Sim!!! Primeiro pode ficar sangrando vários dias logo depois do procedimento. Se não ficar também é normal, ok? É claro, que se a paciente tiver uma hemorragia deve procurar seu médico, mas um sangramento discreto pode acontecer. Porque a histeroscopia é um procedimento em que entramos dentro do útero com uma câmera, ou seja, mexemos no endométrio, camada interna do útero que é a camada que se descama e sai em forma de menstruação.


Mas e se atrasar a menstruação? 

Bom, aí tem que fazer um teste de gravidez, né? Mas pode atrasar alguns dias, sem que isso seja um problema.


E pode continuar usando o anticoncepcional?

Se a mulher já estava tomando, costumo manter normalmente, porque parar no meio da cartela, vai bagunçar ainda mais o ciclo.


Quanto tempo depois de uma histeroscopia a mulher está liberada para tentar engravidar?

Depende do que foi feito, mas para procedimentos como pólipos, pequenos miomas e septo, no mês seguinte já pode começar a tentar. Mas essa orientação pode variar individualmente, portanto é melhor perguntar para seu médico, ok?

Espero ter ajudado!Deixe me ir que a próxima paciente chegou!

Bom final de semana!!!